“H” no meio só na Bahia (e no Corinthians)

Desde que eu comecei a usar o twitter eu sigo, para utilizar a terminologia do próprio twitter, o Carlos Merigo (aka @cmerigo), nerd, publicitário e corintiano — só não sei se ele concorda com essa ordem. Assim, tomei conhecimento do VST (Vamos Subir Timão), inicialmente encabeçado pelo Merigo e Luiz Yassuda, assim que foi lançado quando ainda vestia “just another wordpress theme”, e desde lá o acompanho de perto.

O VST é o único feed que eu assino cujo conteúdo é exclusivamente sobre futebol. Fico feliz em poder ter contribuido nessa história alertando ao Merigo que, não sei porque cargas d’água, “corintiano”, por mais que seja substantivo derivado de “Corinthians” não leva o “h” no meio que, aliás, confunde milhares de torcedores. Merigo me respondeu no mesmo dia agradecendo o alerta e no outro dia já havia arrumado o slogan do blog.

Então que no meio do caminho apareceu o 3º integrante do blog, um que assina como Rafael R. Sendo sincero, não sou muito fã dos seus textos pois além de serem extensos, massantes e cansativos, Rafael faz parte da estatística dos que se enganam ao colocar h no meio de “corintiano”.

Da mesma forma que outrora havia avisado Merigo, avisei-o da grafia correta do substantivo derivado de Cortinthians, porém, diferentemente do primeiro, não me respondeu e não mudou sua grafia, continua escrevendo errado ainda hoje. Uma pena.

A principal diferença que vejo entre Merigo e Rafael é que, além do primeiro escrever “corintiano” corretamente e outro errado, um tem um dos três blogs PR6 do Brasil e outro era, até então, desconhecido para mim. Um tem conhecimento do valor inestimável de um feedback, não só, mas sobretudo na web 2.0, e o outro tem uns bons passos a dar ainda nesse sentido.

Aí você me pergunta se eu não estou exagerando em criar caso por uma palavra escrita errada. Mas eu digo que é mais do que isso, é mais do que um simples ‘h’ em um lugar onde não deveria estar, é uma questão de reconhecer o erro, aceitar a crítica, e o principal, saber fazer disso uma estratégia de marketing, algo que toda pessoa jurídica (e física) deve saber fazer para sobreviver nessa nova ordem mundial então chamada “pós-capitalista”. Jurídica para manter (e angariar) clientes, física par amanter (e aumentar) seu circulo social.

O VST não sairá tão cedo da minha blogroll, pelo Merigo (e Yassuda) é claro. Para o Rafael, desejo-lhe sorte.

Advertisements

6 responses to ““H” no meio só na Bahia (e no Corinthians)

  1. Fala Luis, realmente cometi uma gafe enorme não lhe trazendo o feedback adequado. Confesso que na época que o recebi, estava totalmente atarefado com outras coisas e acabei por deixar passar a dica. Erro meu.

    Quanto a grafia do “Corinthiano”, eu uso com o H por referência extrema ao Corinthians, com H. Se é a forma correta ou não, quem dirá? Apenas entendo que uma palavra derivada do nome com H leva o H também.

    Confesso que cheguei no site num momento ímpar, onde o próprio Merigo me convidou. E venho tocando a idéia à frente da forma com a qual ele me alertou que seria, ou seja, “apenas para diversão”. Mesmo assim, to tentando imprimir um fluxo maior de informações em relação aos jogos e eventos que tenho ciência.

    Se considera isso massante e cansativo, infelizmente nada posso fazer. É assim que aprendi a me expressar. Concordo que talvez pudesse usar uma linguagem até mais leve, um pouco, mas me deixando levar pela emoção que sinto ao falar de Corinthians e a forma com a qual sempre escrevi, é o que sai.

    No mais, desejo-lhe a mesma sorte. E novamente me desculpo pela gafe, eu tenho por hábito responder os comentários do blog, inclusive por e-mail em alguns casos. Algumas pessoas de lá que efetivamente participam podem lhe dizer isso melhor. 🙂

  2. Salve Rafael!

    Pois então, a grafia correta de “corintiano” é sem o ‘h’ mesmo. Como disse no post, não faço a menor idéia do porquê. Imagino que seja pelo fato de “Corinthians” não ser uma palavra pertencente à língua portuguesa, já “corintiano”, o fizeram ser. A regra é clara, ‘h’ no meio, só na Bahia. =)

    Sobre o “massante e cansativo”, espero que não tenha me interpretado errado. Eu sempre imaginei seus posts direcionados a corintianos fanáticos, o que, definitivamente, não é o meu caso. E é claro que a minha opinião em nada deve refletir em seu modo de escrever. O que mais me incomodava mesmo era o “corinthiano”, pois como pode um blog direcionado à nação corintiana, não saber escrever correto seu próprio “tema”.

    Espero não tê-lo ofendido, não era essa a minha intenção.

    Saudações,

  3. “Eu sempre imaginei seus posts direcionados a corintianos fanáticos, o que, definitivamente, não é o meu caso.”

    Impressão minha ou isso foi dito num tom de “você escreve demais para um corintiano entender”?

    Sei lá, de repente seja melhor até você repensar o que sejam os corintianos fanáticos, porque agora sim eu fiquei com a impressão errada (espero) do que você disse.

    Na verdade, nunca encaro mal uma crítica, elas existem para nos tornar melhores, acredito. Só encaro mal quando usam argumentos inválidos nelas. Isso sim é discutível, né?

    Abraços.

  4. Como leitora do Vamos Subir Timão, digo de boca cheia: adoro os textos dos três. O Rafael caiu no meu gosto, adoro ler textos elaborados por quem realmente sabe escrever.

    Talvez o que lhe pareça maçante seja a extensão dos textos; textos curtos agradam, mas por vezes há uma história a ser contada.

    Abraço

  5. Pingback: Errata #1 « éle.agá

  6. Só escreva “corintiano” da forma correta: sem h. Por favor.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s